• banner_de_site_genetica_aditiva_1920x546

Fechar anúncio

16 dez

Genética Aditiva conquista prêmio As Melhores da Dinheiro Rural

Eduardo Folley Coelho, diretor da Genética Aditiva. Eduardo Folley Coelho, diretor da Genética Aditiva.

A maior fornecedora de genética bovina do país conquistou o prêmio “As Melhores da Dinheiro Rural”. A empresa Genética Aditiva, que pertence ao criador Eduardo Coelho, venceu na Categoria Genética Nelore. A cerimônia de premiação ocorreu na última quinta-feira (15), em São Paulo. Os resultados alcançados pelo criatório nos programas de melhoramento genético que participa foram decisivos para essa conquista. 

Com mais de 30 anos de seleção, a Genética Aditiva tem um rebanho de 6.200 cabeças, com aproximadamente 3.000 matrizes Nelore em reprodução, e tem seus animais avaliados por três diferentes programas de melhoramento: Geneplus, ANCP e PMGZ. Esse rigor no sistema de seleção vem garantindo os primeiros lugares nos sumários de touros dos programas que participa. Na ANCP, 13 dos 20 primeiros colocados por índice final são da Genética Aditiva, incluindo os nove melhor classificados. Também está entre os 10 primeiros colocados para as características: Habilidade Materna aos 120 dias (três touros), Perímetro Escrotal aos 365 dias (sete touros) e aos 450 dias (seis touros). 

A empresa também lidera o Sumário Geneplus, além de ter mais cinco touros entre os 20 melhores pelo Índice de Qualificação Genética Básica, sete entre os 10 primeiros para Perímetro Escrotal a Desmama, seis em Perímetro Escrotal a Sobreano e um em Habilidade Materna aos 120 dias. Entre eles estão dois dos maiores vendedores de sêmen do Brasil, REM USP e REM ARMADOR, que juntos venderam 121.422 doses em 2015. A expectativa é de que no sumário do PMGZ os animais da Genética Aditiva estejam em breve entre os melhores, pois a empresa iniciou sua participação em outubro de 2016.

Outro grande diferencial que levou a Genética Aditiva a conquistar o prêmio da Dinheiro Rural é a utilização da genômica em seu sistema de seleção. Além do uso da DEP genômica, também foi incorporada este ano ao processo a seleção genômica para maciez de carne a partir de tecnologia desenvolvida pela Embrapa Arroz e Feijão. A validação da DEP Genômica do GENEPLUS, que avalia várias características, dentre elas a Eficiência Alimentar, contou com a participação de aproximadamente 600 animais da Genética Aditiva em 2016. Outros 60 reprodutores participaram da Prova de Eficiência Alimentar do GENEPLUS, cujo objetivo é identificar os animais que conseguem ganhar peso mesmo consumindo uma menor quantidade de comida. 

O criatório utiliza há mais de dez anos ultrassonografia de carcaça para identificar, selecionar e fixar genes relacionados às características de maior impacto econômico no rebanho. Os machos ainda passam por ultrassom de testículo e medição dos hormônios anti-mullerianos para avaliar precocidade sexual. Esse trabalho é desenvolvido em parceria com a Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS) e permitiu a identificação de touros Nelore que produziram sêmen viável aos 10 meses. 

O criatório adota as mais modernas tecnologias para garantir maior índice de prenhez do rebanho. Das matrizes Nelorena estação 2015/6, 75% foram inseminadas com protocolo de IATF, 20% foram cobertas por touros e 5% foram usadas como receptoras e receberam embriões da raça Nelore. O rebanho da Genética Aditiva fica concentrado em três propriedades no Mato Grosso do Sul: Fazenda Remanso, Fazenda Canaã e Estância Relva. Além da raça Nelore, atua com excelência na seleção de Gir Leiteiro, Girolando e Cavalo Crioulo.

Eduardo Folley Coelho, diretor da Genética Aditiva, recebendo o prêmio. Eduardo Folley Coelho, diretor da Genética Aditiva, recebendo o prêmio.
NOTÍCIAS RELACIONADAS